As incríveis peripécias de nossas vidas medíocres!


Teoria da Evolução

Velhinhas, na menopausa, têm ondas de calor.

Pentelhos, na puberdade/adolescência, têm ondas de mau humor!



Criado mudo
7 de junho de 2009, 21:52
Filed under: Família, filho, Gracinhas, Rir é o melhor remédio | Tags: , , , , ,

Esses dias, minha mãe foi comigo buscar o Yuri na escola. Já no carro ela perguntou:

– E aí, Yuri? Como foi seu dia hoje?

– Ai, vó, que saco! Porque você fica perguntando tudo? Enchendo o meu saco?!

– Nossa Yuri! Não precisa ser grosso!

– Mas tudo você quer saber, fica falando sem parar, só enche o meu saco!

– Credo Yuri! Isso é jeito de falar com a sua avó? Ela só quer saber como foi o seu dia!

– Não, Amanda, deixa. Ele anda assim mesmo…A gente tem que servir o mocinho, na hora que ele quer, mas não pode falar nada!

– Ah! Tá, tipo criado mudo mesmo, né Yuri?!



Aos meus melhores amigos!
27 de março de 2009, 18:10
Filed under: Família, Filosofia pura! | Tags: , , , , ,

Esses dias eu tava pensando: “Não sou melhor amiga de ninguém”. Fiquei triste.

Depois pensei: “Mas hoje em dia, na minha idade, não existe mais essa coisa de ‘melhor amiga’ “.

Quase fiquei feliz de novo. Depois pensei: “Mas todas as minhas melhores amigas têm uma melhor amiga que não sou eu!”.

Depois, pra não surtar de vez, comecei a pensar em QUEM era a minha melhor amiga. Me acalmei.

Percebi que tenho MUUUUITAS melhores amigas e que, de alguma forma, devo ser uma de suas melhores amigas também.

Tenho muitos amigos de infância. Acho que isso é um bom sinal: um sinal de que valeu a pena manter esses laços por tantos anos!

É triste pensar nos amigos que nunca foram amigos; nos que tiveram nossa mais profunda amizade mas nunca se importaram com isso; nos que foram amigos durante um tempo e depois, simplesmente, SUMIRAM!

Mas é bom pensar nos amigos de infância/adolescência, nos amigos de sempre, apesar da distância. Nos amigos de hoje, que são tão bacanas. E nos amigos que ainda virão.

Espero poder ser, sempre, uma boa amiga para meus bons amigos.

AMO TODOS VOCÊS, de verdade!



Recordar é viver! – Tudo tem seu tempo

Tudo na vida tem seu lado bom! Até mesmo ter filhos adolescentes… É sério.

Dia desses, conversando com o meu filho me lembrei do meu primeiro beijo e do quanto fui precoce na vida.

Até ele horrorizou!

Bom, o fato é que o meu primeiro beijo aconteceu quando eu tinha 5 anos.

Não me lembro muito bem como aconteceu, mas lembro que depois do primeiro, o meu namoradinho fez questão de mostrar pra todo mundo o que a gente estava fazendo:

-Ou! A gente beijou na boca, sabia?

-Sério?! Duvido!

-Sério, vem cá que a gente te mostra!

E lá iamos nós para a varanda da casa de madeira, atrás da lareira pra ninguém ver.

Ele deve ter feito isso umas 5 vezes, e eu já estava me cansando de tanta beijação e exibicionismo.

-Posso te beijar de novo? – ele perguntou, depois de ter mostrado a façanha pra todo mundo.

E eu, cheia de tudo aquilo, já banalizando o beijo, respondi:

-Quer beijar beija, mas não põe a língua que é nojento!