As incríveis peripécias de nossas vidas medíocres!


Dia do Trabalho

Como todos sabem, hoje é dia do trabalho. Que maravilha! Mais um feriado no ano! Afinal, é só isso que o dia do trabalho representa hoje em dia…

Ainda há quem festeje. Muitas festas com shows e outros tipos de eventos gratuítos para comemorar “O dia do trabalho”!

Em primeiro lugar, acho no mínimo contraditório, ninguém trabalhar no dia do trabalho. Ninguém não, afinal, já faz muito tempo que muita gente trabalha aos feriados. Mas convenhamos: é engraçado ser feriado no dia do trabalho.

Este é apenas um dos conflitos desse dia. Pra mim, o pior de todos é pensar que já não há trabalho para todo mundo. O que comemoramos então?

A falta de emprego? A falta de trabalho, propriamente dito?

Ou comemoramos o número infindável de pessoas que são exploradas TODOS OS DIAS?

Quantas pessoas você conhece que têm carteira assinada?

Quantas pessoas você conhece que têm alguma estabilidade em relação a seu emprego? – funcionário público não vale!

Carteira assinada virou documento de gaveta! Há quem nunca a tenha usado…

E as pessoas que trabalham por puro prazer? Você conhece alguma?

A grande maioria que eu conheço trabalha pra pagar as contas… Felizes são aqueles que ainda conseguem fazê-lo!

É triste perceber o quanto nos alienamos do nosso TRABALHO propriamente dito! Não trabalhamos por prazer, trabalhamos para sobreviver! Dificilmente encontramos satisfação no que fazemos e isso se reflete em tudo ao nosso redor, mesmo porque, passamos a maior parte do tempo trabalhando! Trabalhamos cada vez mais e ganhamos cada vez menos, vvivemos cada vez menos! – apesar da expectativa de vida aumentar a cada ano! Ou seria “expectativa de trabalho”?!

Crianças perdem o prazer de ir a escola, pois a escola deixou de ser um espaço de aprendizagem, socialização e descobertas. Passou a ser o primeiro estágio de preparação para o “mercado de trbalho”. Que saco! Por que elas haveriam de gostar de ir para a escola se o que as espera é uma vida de insatisfações? Insatisfações sim! Afinal, o pouco tempo que têm com seus pais, ouvem os mesmos se lamentando de seus trabalhos, do quanto é cansativo, do quanto o chefe é chato, do quanto o dinheiro é insuficiente para pagar as contas, etc, etc…

O que sobrou para nós, adultos, além do trabalho? Ah! Mas nós nos divertimos! Há quem beba, há quem se drogue – Fluoxetina, vulgo Prozac, também é droga, viu pessoal – há quem vá as compras! Que vida “maravilhosa”, não?

Precisamos rever nosso sistema! Não adianta reciclar, se você consome de mais! Não adianta reclamar da criminalidade, se você contribui com a injustiça social. Não adianta querer que seus filhos dêem valor ao que eles têm, se você dá tudo o que eles pedem.

Enfim, não adianta trabalhar tanto para não mudar nada!

Anúncios


E então é Natal…
28 de dezembro de 2008, 17:43
Filed under: Família | Tags: , , , , , ,

Fui passar o Natal com a minha família na cidade tortura – para bom entendedor, meia palavra basta.

Cidade de interior todos sabem como é: muita gente com o som no talo para poder mostrar sua potência.

Eu estava em uma loja quando um desses manés passou com o som muuuuuuito alto. As pessoas continuaram imóveis como se nada estivesse acontecendo e eu, inutilmente comecei a gritar protestando contra aquele absurdo:

– Abaixa o som! Ninguém é obrigado a compartilhar do seu gosto musical!!!!

Todos continuaram suas compras, mais uma vez, como se nada tivesse acontecido.

De repente, o som abaixou. Imediatamente olhei para o carro do infeliz. Sabe o que vi?

Por coincidência, meu tio, que estava no carro da frente e surtou com o cara: desceu, e foi implorar para ele abaixar o som.

O cara abaixou na hora! Nem acreditei!!! Até bati palma!

-Muito bem! – eu gritava.

E as pessoas?

Continuaram suas compras como se ABSOLUTAMENTE nada tivesse acontecido!

O Natal é mesmo um perigo.