As incríveis peripécias de nossas vidas medíocres!


Será que o óbvio é óbvio mesmo?

Você já parou pra pensar que nem tudo que é óbvio e notado?

Acho que isso acontece porque existem hábitos que são repetidos, há gerações, sem questionamento.

Armários, por exemplo. Este final de semana, percebi que você acumula mais, se tem muitos armários. Ou, se tem poucos, mas grandes. Ou, o que é pior: muitos armários, muito grandes.

Vamos nos livrar dos armários!

 Se você se livra deles, não tem como acumular!

Mesmo que você queira: não há espaço, não tem lugar, não cabe!

O armário é um sumidouro: se alguma coisa está no armário, você não nota, não vê, não percebe que tem. E, assim, acaba acumulando um monte de coisas que não usa, não precisa, não quer…

Isso é tão óbvio que a gente nem nota! E o que é pior: a gente SUPERVALORIZA este móvel!!!! Quando vamos comprar ou vender um imóvel é super interessante que ele tenha armários, de preferência imbutidos, em todos os cômodos: quartos, banheiros, cozinha… nem a área de serviço escapa!

E tudo isso pra que?

Ah! É tão óbvio…

Pra você consumir mais!

Aposto que você não tinha pensado nisso!

Viu como o óbvio é um perigo?!

Não seja óbvio! Mude!



Casamento

Meu marido, músico que é, resolveu fazer um chocalho de arroz usando uma latinha de incenso que era MINHA.

Não contente em furtar meu porta incenso, resolveu fabricar o instrumento na cozinha. Quando cheguei, quase tive um treco!

-Teve casamento na nossa IMENSA cozinha?!

Ele, cínico que é, chegou, olhou, olhou…

-É parece que teve mesmo… vai  ver que foi o da D.Baratinha.