As incríveis peripécias de nossas vidas medíocres!


Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje.

Esses dias encontrei uma amiga da faculdade no Facebook. Pedi para ela me adicionar, e ela o fez. Não escrevi nenhuma mensagem pra ela e nem ela pra mim, porém, todo dia eu pensava em perguntar como ela estava e o que andava fazendo. Não o fiz.

Hoje, enquanto eu tomava banho, pensei: “Vou escrever pra ela!”.

Assim que liguei o computador, recebi um e.mail que comunicava a sua morte. Entrei em choque. Como alguém tão nova pode ter morrido? Como ela morreu antes de eu conversar com ela, ainda que pelo Facebook? Eu NUNCA MAIS vou poder falar com ela.

Foi foda.

Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje! Nunca.



Adeus Maria Quitéria!
8 de fevereiro de 2009, 17:25
Filed under: Lembranças | Tags: , , , , , , , , ,

KIKIHá mais ou menos 1,5 anos atrás compramos uma ratinha da raça Topolino. Seu nome, Maria Quitéria, para os íntimos Kiki – a mascote deste blog.

Kiki sempre foi meiga e doce. Foi conosco para praia, para Tatuí…viajada essa ratinha! Até bateria ela tocava!

Kiki vivia sozinha em sua casinha e, por isso, demorou para aprender a andar na esteira de ratos -aquela rodinha que faz um barulho irritante.

Procuramos informações sobre Topolinos na internet e descobrimos que eles gostam de viver em bando. Minha mãe, muito gentil, foi no Mercado Central e comprou um novo “Topolino” para fazer companhia para a Kiki. Como eu já disse, minha mãe é MUITO ingênua e distraída e acabou comprando um filhote de camundongo. Kiki, temendo pelo seu futuro, deixou bem claro que não dividiria sua casinha com aquele projeto de gigante. Conclusão: devolvemos o ratinho.

Kiki parecia feliz em seu humilde lar, não dava trabalho algum: comida e faxina só uma vez por semana! Era uma maravilha!

Porém, como os Topolinos vivem pouco (aproximadamente 1,5 anos) decidimos propiciar “o bem bom da vida” para Kiki e lhe compramos um companheiro, um maridão.

A mudança foi visível: a casinha passou a cheirar mal, a serragem sempre caia para fora da casinha, a comida não durava nada e a água, menos ainda. 

Mas Kiki parecia feliz com seu novo companheiro: Francisco Cuoco, para os íntimos, Cuoco.

No final do ano, fomos viajar e não levamos Kiki, pois agora ela não ficaria mais sozinha.

Quando voltamos, Kiki e Cuoco nos surpreenderam com 2 lindos filhotes: Kika e Kiko.

A família agora estava completa e Kiki, a anciã parecia cudar de tudo e de todos.

O tempo passou e os filhotes viraram adultos.

Hoje, quando o Yuri foi fazer a faxina semanal na casa da pequena família 3 ratinhos estavam mortos. Pareciam ter sido assassinados.

Porém, não conseguíamos solucionar a chacina! O que teria acontecido?!

-Vai ver a Kiki cansou de fazer faxina, e matou todo mundo! – disse o Yuri fazendo graça.

Foi então que eu percebi que Kiki JAMAIS mataria sua família, ela havia sido morta!  Chorei muito quando reconheci seu corpinho  todo encolhido pra fora do tubinho onde costumava dormir com os filhos e o marido. Nem pra morrer ela deu trabalho!

Vá em paz pequena grande amiguinha! Sentiremos sua falta!



Põe Tua Marca
18 de janeiro de 2009, 20:43
Filed under: Família, Filosofia pura!, Interessantíissimo | Tags: , , , ,

Eu tive a sorte de ter um avô poeta que infelizmente morreu antes do meu nascimento, mas felizmente, deixou sua marca:

Põe tua marca

 

Naquilo que fizeres,

põe tua marca:

de sangue, de alma!

 

Não, para a glória

vã.

Não, para a imortalidade

morta.

 

Põe tua marca,

porque não te podes mover,

sem tepores

na marca do teu passo,

na força do teu pulso.

 

Porque uma vida que não se exprime

ocupa lugar demasiado, no mundo:

rouba o ar, a luz, a água e o pão

dos outros.

 

Põe tua marca,

porque tua marca

poderá coincidir com a marca de muitos!

 

Manoel Cerqueira Leite

“Fonte na Serra”

São Paulo

12.1.1946