As incríveis peripécias de nossas vidas medíocres!


Guacanete
11 de março de 2009, 00:50
Filed under: Comidinhas, Uncategorized | Tags: , , , ,

Outro dia fui na “inauguração” da casa de uma amiga minha – uma amizade tão nova quanto querida.

Casa nova, sabe como é: sempre falta alguma coisa…

Pois é, a idéia era fazer guacamole e vinagrete. Como os ingredientes não eram suficientes para completar nem um, nem outro, criou-se a GUACANETE. Um híbrido de guacamole e vinagrete.

Mais curioso que o nome é o sabor: uma delícia sem explicação!

Manu: posta a receita nos comentários para os aventureiros curiosos!



Almoço de domingo

Aqui em casa, todas as tarefas são divididas, não temos empregada e, por isso cada um ajuda como pode.

Ontem, meu marido estava me ajudando a fazer o jantar e acabou derrubando quase todo o óleo da panela no fogão, no chão e nos arredores quando colocou quase todo o frango de uma vez para fritar.

Por incrível que pareça eu não surtei  e ele limpou a maior parte da bagunça sozinho.

Hoje, resolvemos não inventar moda e optamos pela boa e velha macarronada de domingo; só que desta vez ele ficou com a louça e eu com o fogão. Então, percebi que ainda tinha um pouco de óleo e baixo do fogão.

– Ih! Ainda tem óleo em baixo do fogão…

-Sério?

-Hum, hum. Acho que vamos ter que lavar a cozinha….

-Que nada, aproveita o óleo e faz o macarrão alho e óleo!



Economia Familiar

Minha avó tem 92 anos e desde que me entendo por gente, ela é SUPERECONÔMICA.

Ex: banho 5 minutos, se for lavar a cabeça, 10. Papel filme, ela lavava e punha pra secar nos azulejos para poder usar de novo e etc, etc…

Um dia, meu avô estava almoçando uma torta deliciosa feita por ela, mas não conseguiu identificar o recheio e perguntou:

– Ruth, o recheio dessa torta é de que?

– “Lavoisier”.

-Como assim?

-Na nossa geladeira nada se cria, nada se perde, tudo se tranforma!

Outro dia, fiz uma sopa “Lavoisier”.

– Mãe! Do que é essa sopa?

– Receita de família meu filho…

-Tá, mas do que é?

“Lavoisier”.

– O que é isso?!

– “Na nossa geladeira nada se cria, nada se perde, tudo se transforma!”

– Eca! Que nojo! Eu não vou comer isso não! Devia chamar “Lavagê”.